Centro Avançado em Técnicas de Imobilização (CATI - Treinamento Policial) é uma das únicas empres

Centro Avançado em Técnicas de Imobilização (CATI - Treinamento Policial) é uma das únicas empres
Centro Avançado em Técnicas de Imobilização (CATI - Treinamento Policial) foi desenvolvido, desde a sua criação, com o objetivo de tornar mais seguro e eficiente o dia-a-dia de todos os policiais. O CATI SUL realiza cursos específicos para GUARDAS MUNICIPAIS em todo o Brasil. Fone: 51 33720798. Email: catisul@cati.com.br, guardamunicipal@cati.com.br, catisulcursos@cati.com.br.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Encontre todas as informações desse evento exclusivo para GCM, inédito no Brasil acessando www.catisul.com
Prefeito NÉRIO GARCIA DA COSTA, Instrutor do CATI   MÁRCIO TORBES e o Corregedor THIAGO da GCM de Sertãozinho/SP.
É com muito orgulho que o CATI SUL anuncia o início do Curso de Formação da GCM de Avaré/SP, a aula inaugural será realizada nesta próxima segunda-feira dia 04/06/2012 com a presença de autoridades locais e instrutores do CATI.

quinta-feira, 19 de abril de 2012

Data confirmada para o 1º CATI SWAT GCM



O CATI Treinamento Policial anuncia à Família Azul Marinho (Guardas Municipais) que de 22 a 27 julho de 2012, período das férias escolares, vai acontecer na cidade de Sertãozinho-SP o Primeiro CATI SWAT GCM, exclusivo para Guardas Municipais. O curso irá contemplar a carga horária de 80h/a, exigida pela lei da Qualificação Anual de GCMs. Os assuntos que serão abordados seguem as orientações da Matriz Curricular Nacional.
     O CATI, por ser uma empresa de Treinamento Tático,  abordará os temas da Matriz Curricular Nacional de forma prática e dinâmica.
     Estarão presentes como instrutores, policiais da ativa do BOPE-RJ, da SWAT Americana (Texas) e os melhores instrutores do CATI no Treinamento Policial.
Dentro da programação:
Palestra inaugural, Violência Doméstica e de Gênero, Violência na Escola, Gravidez na Adolescência, Combate ao Uso de Drogas, Gerenciamento de Crise, Policiamento Comunitário (Swat).
 Aulas práticas:
Imobilização Táticas;
Operador equipamento imobilização eletrônica;
Ambiente confinado;
Abordagem de veículo;
Tecnologia da Informação;
Intervenção Estabelecimento de Ensino; Controle de distúrbios civis (CDC); Progressão em Área de Risco (BOPE); Intervenção em Estabelecimento de Ensino; 
Abordagem de Veículo;
Intervenção em Baixa Luminosidade (low light);
Os participantes também receberão a certificação de operadores de Arma de eletrochoque (TASER).
Estamos finalizando os contratos para divulgar o valor do investimento.
TREINAR É FUNDAMENTAL!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Abertas as inscrições para o curso LOW LIGHT


Estão abertas as inscrições para o curso LOW LIGHT, que será realizado no dia 10 de novembro.


Aproveite essa oportunidade e entre em contato conosco


catisulcursos@cati.com.br e felipe@cati.com.br .

Intervenção em Baixa Luminosidade (LOW LIGHT)

Objetivo Geral:
Proporcionar um conjunto de conhecimentos teórico-práticos que colaborem como instrumento de qualificação dos policiais, com vistas a desenvolver ações preventivas, bem como resolução de crises, através do treinamento contemplando aspectos legais e humanísticos, priorizando sempre a integridade física e moral do cidadão.  Este é um dos cursos com maior aceitação no CATI/SWAT sendo matéria obrigatória desde a primeira edição no Brasil
Objetivo Específico:
Qualificar em ações de intervenção em baixa luminosidade (low light), preparando-os em teoria e prática, para que sejam treinados, assimilando técnicas operacionais necessárias em sua rotina de trabalho.
Programação:
• Equipamento: Apresentação de equipamento, diferenças, operacionalidade, empunhadura e adequação.



Low Light de diferentes times táticos, Brasil e EUA.
• Fundamentos: Perímetro, procedimentos, posicionamento e estudo de caso.
• Tipos de formação: Porta aberta, fechada, janelas, escadas, corredores com 2 ou mais agentes.
• Aplicação da lanterna em low light (truques): Os 10 mandamentos low light, aproximação de suspeito, passagem e trabalho de porta, flash, movimentação no escuro.
• Entradas Táticas: silenciosa, dinâmica, com baixa luminosidade, em escadas, corredores e utilização de espelho tático.
• Operações noturnas: Planejamento e cumprimento de missões.
 Metodologia, Dinâmica e Recursos Didáticos:
 Aula expositiva e dialogada, com o auxílio de recursos audiovisuais, painéis; dinâmica de grupo, estudo de casos, simulação, resolução de problemas e prática.
Carga Horária:
20 horas-aula

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Imagens do Curso Imobilizações Táticas realizado de 21 á 23 de outubro.


                                                                                                     
                                   

Parabéns a todos os alunos que participaram do curso
Imobilizações Táticas e  fazem parte da familia CATI.


segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Hoje dia 10/10 é o dia dos Guardas Municipais.

    
     Parabenizamos todos os Guardas Municipais neste dia tão especial. 
     E com muito orgulho que o CATI SUL estará sempre presente nos seus momentos.
   
CATI SUL COMPROMETIDA COM AS        GUARDAS MUNICIPAIS.
                     

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

      O CATI Treinamento Policial anuncia à Família Azul Marinho (Guardas Municipais) que em julho de 2012, período das férias escolares, vai acontecer na cidade de Sertãozinho-SP o Primeiro CATI SWAT GM, exclusivo para Guardas Municipais. O curso irá contemplar a carga horária de 80h/a, exigida pela lei da Qualificação Anual de GCMs. Os assuntos que serão abordados seguem as orientações da Matriz Curricular Nacional.
     O CATI, por ser uma empresa de Treinamento Tático,  abordará os temas da Matriz Curricular Nacional de forma prática e dinâmica.
     Estarão presentes como instrutores, policiais da ativa do BOPE-RJ, da SWAT Americana-Dallas e os melhores instrutores do CATI Treinamento Policial.
     Dentro da programação: Palestra inaugural, Violência Doméstica e de Gênero, Violência na Escola, Gravidez na Adolescência, Combate ao Uso de Drogas, Gerenciamento de Crise e outros. Aulas práticas: Imobilizações Táticas, Controle de distúrbios civis (CDC), Progressão em Área de Risco(BOPE), Intervenção em Estabelecimento de Ensino, Intervenção Tática GM, Cumprimento de Mandado, Abordagem de Veículo, Primeiro Atendimento à Feridos(APH Tático), Intervenção em Baixa Luminosidade(low light). O curso inicia no sábado e termina na próxima sexta-feira, totalizando mais de 90 horas de muito treinamento e adrenalina.

Entre em contato e faça parte deste evento!!!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

CURSO DE IMOBILIZAÇÕES TÁTICAS EM PORTO ALEGRE

No blog do CATI SUL, estaremos postando colunas semanais dos instrutores do CATI, falando de assuntos variados do interesse público. Começando com o mestre em defesa pessoal, Domingos.

                                          
    
                                               Defesa pessoal aplicada

   Com minha vivência adquirida dentro das artes marciais, vejo várias formas e maneiras de passar o conhecimento em defesa pessoal, assim como muitos conceitos e paradigmas.
   Construí uma idéia em torno desse assunto, não apenas por refletir, mas pelas vivências adquiridas.
   Baseado nas reflexões de defesa pessoa não posso apenas oferecer técnicas mirabolantes, chutes espetaculares, tudo é muito complexo.
   Temos que vivenciar a prática dos fatos, algo que o aluno aprenda e que pelas técnicas adquira, sua atitude de defesa ou melhor dizendo atitude de sobrevivência.
   A metodologia de ensino depende da realidade de cada aluno. Vou citar exemplos, um aluno agente de segurança pública deve seguir técnicas que sigam e respeite a legalidade da ação, um aluno de segurança privada segue as diretrizes a serem aceitas e realizadas por sua empresa, e no caso do aluno civil, vai de encontro com sua realidade do cotidiano, até pode trabalhar com técnicas mais contundentes.
   Sendo assim, a metodologia vai exigir da individualidade de cada aluno, sendo diferenciado.
   Digo então que, defesa pessoal aplicada vai de encontro com a necessidade de cada indivíduo.
   Resalvo a importância do treinamento das artes marciais, com modalidades variadas, estando sempre preparado para qualquer eventualidade no trabalho ou em sua vida pessoal.
                    
                                                 Mestre Domingos                           23 09 2011
                                               Instrutor CATI SWAT

                            

                       CURSO DE IMOBILIZAÇÕES TÁTICAS 

       É um treinamento objetivo e ofensivo que está sendo considerado como uns dos melhores treinamentos policiais do mundo e é hoje a mais nova arma da SWAT. Desenvolvido e Patenteado pelo CATI, o curso visa o preparo de policiais para uma atuação mais eficiente em situações de risco como as de resgate de reféns, rebeliões, imobilizações de suspeitos sob efeito de entorpecentes, etc. É um curso inédito no mundo, que tem como objetivo primordial o de fornecer ao treinando uma capacitação para o uso das técnicas de imobilização tática e para lidar com situações onde não haverá possibilidade de utilização de arma de fogo.
      As táticas ensinadas neste programa produzem os elementos surpresa e velocidade, requisitos essenciais para uma operação de sucesso. Colocamos o aluno em situações inesperadas que exigem raciocínio lógico, rápido e intuitivo. Enfim, é um novo e verdadeiro instrumento para o cotidiano do policial.
   Programação
- Técnicas avançadas de condução de presos;
- Domínio das articulações;
- Técnicas avançadas de desarme;
- Técnicas de utilização de algemas;
- Técnicas avançadas de imobilização;
- Imobilização tática com 1 a 4 operacionais;
- Equipes e formações táticas de Imobilização;
- Imobilização de suspeitos sob o efeito de entorpecentes;
- Imobilização em ambientes confinados (CQB);
- Como evitar o artigo 129 do Código Penal Brasileiro;
- Estratégia tática e desarme em situações envolvendo reféns;
- Estratégia tática e desarme/ arma de fogo;
- Desarme seguido de imobilização do seqüestrador;
- Retirada e imobilização de suspeitos em veículos;
- Estudos e avaliações de imobilizações policiais mal sucedidas;
- Controle emocional;
- Simulações reais de diversas situações e cenários.
OBS: Todas estas técnicas são patenteadas no Instituto de Marcas e Patentes, em nome do CATI - Treinamento Policial LTDA. Qualquer cópia sem autorização poderá gerar processos legais.

   Materiais necessários para o curso
- Farda tática;
- Algema;
- Joelheiras.
  Duração 3 dias e 1 noite

  Entre em contato e se inscreva.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Confira as imagens do curso LOW LIGTH em Porto Alegre 2011

Parabéns aos alunos e colaboradores que participaram do curso Low Ligth.

Caros Alunos,
Encerramos mais uma etapa, o CATI sempre com a preocupação de estar passando aos nossos alunos o que há de melhor tendo a certeza que cumprimos a missão. Foram horas de muita adrenalina, acompanhamos a evolução crescente de cada um de vocês e ao final tivemos a sensação que a muitos anos  nosso dever vem sendo cumprido. O CATI não faz qualquer distinção da instituição que o aluno pertence, nossa maior preocupação é a preservação da vida, e isso conseguimos passar, analisando individualmente cada aluno, nivelando e doutrinado chegamos a conclusão que o caminho esta certo, terminamos com uma unidade tática.
                            Parabéns a todos e nos encontramos na próxima missão
                                          “Sangue nos olhos e Fé na missão”
                                                       Marcio Torbes
                                                  Instrutor Internacional
                                                       CATI SWAT











                            

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

CATI E TROPA DE ELITE 2 - UMA PARCERIA QUE DEU CERTO



                         
O filme "Tropa de Elite 2" já foi lançado e o que muitas pessoas ainda não sabem é que a preparação dos atores principais, dos figurantes especiais e a coordenação das cenas de ação foram realizadas pelo CATI.
As negociações quanto a parceria com a ZAZEN (produtora responsável pela produção do renomado filme) começaram em junho de 2009, quando o presidente do CATI, Marcos do Val, residindo nos Estados Unidos, veio ao Brasil para tratar exclusivamente desta parceria.
 
Na ocasião, os diretores do filme, José Padilha e Pimentel, por indicação dos próprios oficiais do Batalhão de Operações Especiais do Rio de Janeiro (BOPE), fizeram o convite oficial ao CATI, o qual apresentou os trabalhos de treinamento policial aos quais vem se dedicando ao longo dos anos ao redor do Mundo, entre eles: "prevenção de ataques antiterroristas para equipe da NASA", "Treinamento para equipe de segurança do Papa", "treinamento de soldados norte-americanos para combate no Afeganistão" "Treinamentos táticos para a SWAT".
 
De forma que a produção do filme aprovou, de imediato, a idéia, afirmando que o principal objetivo era fazer com que o "Tropa de Elite 2" superasse em todos os aspectos o 1º filme. O desafio foi visto como um dos maiores da história do CATI, haja vista o Centro de Treinamento nunca ter atuado no ramo cinematográfico.
Após a proposta ser aceita pelo CATI, Marcos do Val explicou aos diretores do filme que a figuração poderia ser feita com policiais que já tinham sido alunos em seus treinamentos, especialmente aqueles que já tinham passado pelo curso de "progressão em favelas", o que daria um tom real ao filme. Idéia aceita! A produção do filme passou a tratar essa equipe de policiais como "figurantes especiais".
 
Assinado o contrato, o CATI começou a divulgar no site institucional a nova e brilhante parceria, o que lhe rendeu uma procura gigantesca de interessados em participar das filmagens. Foram mais de 550 inscrições, sendo que destas 80 foram selecionadas.
A seleção durou 30 dias, nos quais a equipe do CATI escolheu 80 integrantes das mais diversas instituições de segurança do Brasil que foram alunos do CATI para participarem com sua experiência e profissionalismo do melhor filme nacional realizado até o momento. E tão logo foram selecionados, foram também informados dos dias e horários das gravações. Em novembro de 2009 quando chegaram ao Rio de Janeiro, tiveram início aos treinamentos e informações necessárias para a realização do trabalho para o qual foram selecionados. Todos os integrantes tiveram que passar por adequações de suas rotinas diárias com a missão de transformá-las em cenas para o filme.
Vale ressaltar que o CATI, primando pela qualidade total das cenas, convidou o renomado diretor de cinema Tiaraju Aronovich e o ator e Policial paulista Marcelo G. Rafael para ensinar aos policiais e militares figurantes como eles deveriam se comportar em frente as câmeras.
 
Novamente em novembro de 2009 a equipe do CATI se deslocou para o Rio de Janeiro com a missão de começar os treinamentos, o que incluía a participação dos atores principais, Wagner Moura, André Ramiro e elenco. O treinamento se estendeu até o mês de janeiro de 2010. E como todos já estavam com um nível de aproveitamento e aprendizado muito alto, foi agendado nas instalações do CATI RIO um mega treinamento com as quase 200 pessoas que atuariam no filme. Atores principais e policiais treinando juntos por aproximadamente dez dias sob um calor de quase 45 graus.
 
Outra parte do treinamento foi realizado nas intalações do GIT (Grupo de Interveção Tática) no presídio de Bangu, o que seria uma preparação para as ações no presídio cenográfico. O CATI buscou levá-los o mais próximos da realidade. Porém é importante esclarecer que algumas técnicas utilizadas no filme não condizem totalmente com a verdade tática, pois a pedido do diretor do filme, José Padilha, algumas destas cenas tiveram que ser adaptadas para o cinema, bem como outras, por serem de extrema importância em ocorrências reais, não poderiam ser mostradas para o público em geral, já que o filme atinge todas as classes sociais, o que inclui pessoas mal intencionadas.


 Após os treinamentos, começaram então as gravações. Em fevereiro toda a equipe do CATI estava novamente no Rio de Janeiro. As ações se deram respectivamente na favela do morro Dona Marta, favela de Ramos, nas instalações do BOPE/RJ e no presídio cenográfico.
No BOPE foram dois dias de gravações. Na ocasião esteve presente o mestre de Jiu-Jitsu, Rickson Gracie, conhecido mundialmente. Ele foi o responsável pelos treinamentos de jiu jitsu do ator Wagner Moura e do ator Pedro Van-Held que é o filho do então Coronel Nascimento.

O Diretor do filme, José Padilha, e toda a produção do Tropa de Elite 2, reuniram ao final das gravações todos os policiais do CATI para fazer um belo agradecimento e dizer que se não fosse pelos esforços do CATI não alcançariam tanta perfeição e imagens tão exclusivas durante as gravações. Elogiou também a disciplina, o espírito de equipe, a dedicação e comprometimento. Como reconhecimento, a produção do filme colocou nas principais cenas o símbolo do CATI e a que mais chamará a atenção dos fãs do filme é a bandeira oficial do CATI estendida na sala do Comandante do BOPE, o então Coronel Nascimento (Wagner Moura).

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Sertãozinho - SP Última semana de treinamento.

video
Alunos em aula prática.



video
Invasão a onibus.

video
Tiro sob stress.

Estes videos são uma recordação para os alunos que estiveram presente no curso em Sertãozinho - SP.
Fica o agradecimento e admiração aos alunos e a todos que contribuíram com a realização do curso da Guarda Municipal de Sertãozinho - SP.

FÉ NA MISSÃO!!!

terça-feira, 19 de julho de 2011

Work shop realizado em Porto Alegre na base do CATI SUL

video
Foi um sucesso o work shop realizado na base do CATI SUL em Porto Alegre, que teve a presença ilustre do secretário de segurança municipal Sr. NEREU D´AVILA. E como foco tivemos demostrações de imobilizações táticas, manuseio de arma de fogo e intervenção em baixa luminosidade (LOW LIGTH).
Os guardas poderam ver um pouco mais sobre a importância da qualificação profissional na área da segurança.




Nesta segunda-feira, 18, o secretário municipal de Direitos Humanos e Segurança Urbana, Nereu D'Avila, esteve na sede do Centro Avançado em Técnicas de Imobilização (CATI), onde presenciou as atividades realizadas pelos 25 agentes da Guarda Municipal (GM) que fazem o curso de abordagem e imobilização.
No local, os guardas são submetidos a 12 horas contínuas de aulas intensivas, que incluem uso de armamento a gás – similar ao usado em jogos de paintball – e incursão noturna. D'Avila enalteceu a participação da GM, ressaltando a necessidade do aprimoramento da corporação. "Não podemos dispensar o treinamento e a qualificação, para que a GM possa participar quando a polícia não está presente, em favor da população", disse.
Treinamento - O instrutor-chefe do centro, Márcio Torbes – que é sargento do Batalhão de Operações Táticas (BOE) da Brigada Militar –, contou que a equipe do local já realizou trabalhos com instituições de outros estados, ressaltando o rigor da formação. "Nosso treinamento concedido aos guardas é o mesmo oferecido para um time tático, como o Batalhão de Operações Policiais Especiais - o Bope do Rio de Janeiro. A mesma atenção e orientação é dada aqui", enfatizou. Em uma das atividades, Torbes demonstrou ao secretário e aos alunos como proceder na imobilização de pessoas, explicando como usar moderadamente a força, conforme o risco oferecido pela situação.
O CATI, baseia-se nas táticas utilizadas pela SWAT – equipe de polícia de elite dos Estados Unidos. O centro realiza treinamento para policiais, militares e agentes que atuam em grupos de operações especiais, de forma a tornar mais segura e eficiente a ação, oferecendo a possibilidade de controlar infratores sem o uso de agressão física.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

CDC - Controle de distúrbio civil. Dourados-MS

Foram  mais de 120 Guardas Municipais de Dourados divididos em 4 turmas e mais 30 PMs convidados pela GMD para participar do CDC.



A todos os colegas instruendos  que participaram do treinamento de Controle de Distúrbio Civil (CDC), conforme parceria entre CATI SUL e Guarda Municipal de Dourados, o meu agradecimento e admiração por terem se dedicado ao máximo durante o período que estivemos juntos e por terem abdicado dos momentos de folga e lazer com seus familiares para se qualificarem ainda mais em suas funções públicas na área de segurança. Aos diretores e funcionários da GMD, o meu agradecimento especial por fazer acontecer este e outros treinamentos de qualificação que serão de extrema importância para estes nobres combatentes do crime! Fico feliz por terem feito uma integração com a Policia Militar de Dourados durante este treinamento, pois isso contribui em muito para a harmonia entre instituições co-irmãs. “Força e Honra!”
Paulo Amaral – Instrutor CATI SWAT

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Zero Hora faz matéria com Torbes Instrutor do CATI e sargento da PM

 

Policial da BM treina "caveiras" do Bope para ações em lugares de baixa luminosidade

Marcio Brum Torbes, 46 anos, embarca nesta quarta-feira para o Rio de Janeiro

Sargento Torbes treinará policiais do Bope para ações em lugares de baixa luminosidade - Ronaldo Bernardi / Agencia RBS
Para enfrentar uma média de 60% de ocorrências em ambientes de baixa luminosidade, é preciso que um policial saiba driblar o medo e calcular os passos que serão dados — literalmente — no escuro. Esta estatística, da Secretaria Nacional de Segurança Pública, é a base da especialização do sargento Marcio Brum Torbes, 46 anos, que embarca nesta quarta-feira para o Rio de Janeiro com um convite para treinar policiais da tropa de elite mais famosa do país, o Bope.

Por três dias, os "caveiras", como são conhecidos, aprenderão a intervir em locais escuros e confinados durante situações de risco com o auxílio de lanternas e equipamentos de visão noturna.

Os alunos de Torbes são, na verdade, veteranos do Grupo de Resgate e Retomada (GRR), equipe tática do Bope que trabalha com situações envolvendo reféns.

— Não é comum o Bope trabalhar com lanternas e achamos bom que os operadores do batalhão aprendessem. O sargento Torbes é uma referência no assunto no país e é muito útil agregar esse tipo de informação — explica o sargento Carlos Melos, coordenador do GRR.

De experiências próprias e uma pesquisa intensa, surgiu a ideia para o livro que está escrevendo sobre as situações enfrentadas pelos policias em ambientes de baixa luminosidade. A partir de conversas com médicos e psiquiatras, o sargento sabe, antes de enfrentar o risco, como se dilata a pupila e o que passa na mente de um indivíduo acuado em local escuro. E, então, cria a tática para reagir de maneira correta.

— Se o suspeito estiver há mais de 15 minutos em um ambiente escuro e tiver os olhos ofuscados, não vai enxergar. É o tempo de eu me posicionar — conta Torbes.


Foto: Ronaldo Bernardi
Policial há mais de 25 anos, o sargento trabalha atualmente na 2ª Companhia do Batalhão de Operações Especiais (BOE) da Brigada Militar em Porto Alegre. O interesse pelas intervenções em baixa luminosidade começou há cerca de 12 anos, ao participar de um treinamento da equipe texana da Swat — o esquadrão de elite da polícia americana. Frente a uma técnica limitada para as necessidades tupiniquins, o sargento começou a estudar para avançar em uma tática própria:

— O que eu fiz foi adaptar os ensinamentos deles para a realidade do Brasil.

Torbes já ministrou este tipo de treinamento em outros estados do país e em Portugal, onde ensinou as técnicas à Guarda Nacional Republicana.

— Profissionalmente, é uma valorização — conclui.
     ZERO HORA